Misandria.

Todo dia eu saio cedo de casa e vou andando sozinha pra escola.
No caminho eu sempre tenho que passar por uma casa.
Tem um cachorro nessa casa.
Todo dia ele me arranha.
Nunca me mordeu. Mas todo dia eu tenho medo de que ele me morda, porque eu sei que vão me culpar.
Vão falar que era da natureza dele, que eu deveria usar algo que me protegesse, que eu deveria ir por outro caminho. Ninguém vai falar que o cão foi agressivo, ninguém vai lembrar que eu não tinha outro caminho, ninguém vai pensar que uma calça comprida não resolveria nada.
Já mais velha eu sinto um aperto no peito e apresso o passo cada vez que ouço um latido na rua. Algumas pessoas dizem que é falta de educação, que é uma postura desnescessária, que talvez o cão só esteja me saudando.
meu peito aperta por medo. porque cada vez que eu ouço o latido eu lembro que aquele cão não me mordeu, mas amigas minhas foram mordidas por outros cães.
Algumas, foram mordidas por cães de casa. Cães que elas diziam que as protegiam, cães aos quais elas davam carinho e atenção. “Mas os cães devem ter tido algum motivo. Não às morderiam assim à troco de nada.”
Algumas morreram em decorrência de ataques. Feridas infeccionaram, contraíram doenças.
E eu passei a odiar cães. Eventualmente me apego à algum, dou carinho e deixo que se aproxime. Mas odeio cães. Eu tenho medo de cães. Cresci sendo ensinada a ter medo de cães.

 

Todo dia eu saio cedo de casa e vou andando sozinha pra escola.
No caminho eu sempre tenho que passar por uma casa.
Tem um homem nessa casa.
Todo dia ele ameaça me agarrar.
Nunca agarrou.
Mas todo dia eu tenho medo que ele me agarre, porque eu sei que vão me culpar
Vão falar que era da natureza dele, que eu deveria usar algo que me protegesse, que eu deveria ir por outro caminho. Ninguém vai falar que o homem foi abusivo, ninguém vai lembrar que eu não tinha outro caminho, ninguém vai pensar que uma calça comprida não resolveria nada.
Já mais velha eu sinto um aperto no peito e apresso o passo cada vez que ouço uma cantada na rua. Algumas pessoas dizem que é falta de educação, que é uma postura desnescessária, que talvez o cara só esteja me elogiando.
meu peito aperta por medo. porque cada vez que eu ouço uma cantada na rua eu lembro que aquele homem não me agarrou, mas amigas minhas foram agarradas por outros caras.
Algumas, foram agredidas por parceiros. Homens que elas diziam que as protegiam, homens aos quais elas davam carinho e atenção. “Mas os homens devem ter tido algum motivo. Não às agrediriam assim à troco de nada.”
Algumas morreram em decorrência de ataques. Feridas infeccionaram, contraíram doenças.
E eu passei a odiar homens. Eventualmente me apego à algum, dou carinho e deixo que se aproxime. Mas odeio homens. Eu tenho medo de homens. Cresci sendo ensinada a ter medo de homens.

Lara Luccas

4 comentários em “Misandria.

  1. Olá.

    A autora deste texto não é Lara Luccas?

    Não sei quem mantém este blog, mas a não ser que seja a própria Lara que prefere assinar com outro nome, me parece que o texto foi publicado sem permissão (já que não há uma nota especificando nem nada). E como está assinado com outro nome, isso configura plágio.

    Não li o conteúdo completo do blog e não posso falar sobre os outros textos, mas, além deste, o texto sobre gordofobia contém trechos bem semelhantes a coisas que já escrevi no meu blog e no meu tumblr. E na página do Facebook de vocês, há um post com dizeres bem parecidos com trechos do conteúdo do Questões Plurais, blog que também edito.

    Eu ia deixar isso quieto porque essa aparente desonestidade poderia me causar muita dor de cabeça, mas agora que vi um texto completo de outra pessoa ser publicado e assinado com outro nome não posso ficar calada.

    Vocês têm meu e-mail.

    1. Ah sim, só para esclarecer as pessoas que nos seguem e leem nossas postagens, nenhum texto que é de autoria de outra pessoa, é publicado sem a permissão da mesma.
      Nenhuma identidade é revelada por um fator de segurança de cada uma que posta nesse blog, para evitar perseguições, discussões em suas redes sociais que sejam ofensivas e desnecessárias, agressões e outros fatores que podem intervir na atividade normal de cada uma de nós.
      Não me identifico, assim como nenhuma outra, mas somos completamente acessíveis.
      Temos email para essas questões, e temos também nossa página, onde você poderia nos enviar uma mensagem.
      Publiquei seu comentário pois achei pertinente lembrar que NÃO TEMOS INTENÇÃO DE PLAGIAR O TRABALHO DE NINGUÉM, e se de fato isso acontecer, tomaremos todas as medidas cabíveis para que isso seja arrumado e não se repita mais.
      Amélia Autumn.

  2. Como mentiras e piadas a meu respeito têm sido feitas por causa disso, tenho direito de vir aqui lembrar pra quem escolheu ignorar que logo no início do comentário eu deixei bem claro: “ a não ser que seja a própria Lara que prefere assinar com outro nome“.

    Não que tenham solicitado, mas eu vim defender o direito autoral dela e sou tratada com um desrespeito e uma desonestidade absurdos tanto aqui, como por e-mail e no Facebook.

    Sobre isso da Lara, já foi esclarecido e pra mim era assunto morto até trocarem (de ontem pra hoje) o nome da autora e colocarem o nome dela de fato. Antes estava alguma coisa Lamar. Esse é o nível de desonestidade.

    Sobre a parte dos plágios de conteúdo que EU produzi, mantenho o que eu disse (como já deixei claro por e-mail). E intenção não importa quando alguém está sendo desrespeitada como eu estou. Mas com base no nível de piadas e mentiras que estão espalhando por causa do meu comentário, não espero muita coisa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s