Meu útero, minha escolha

Todos os dias lido com o fardo de ter escolhido por não ter filhos. Por que? Porque há uma cultura social compulsória e a idéia de que a mulher foi feita para a maternidade, e que o fato de não possuir filhos torna a vida e a vivência de uma mulher, incompleta.

Entendo que isso faz parte de uma construção social em que a figura da mulher vem aliada ao poder de progenitora, desde antes da Idade Média, e que perdura até os dias atuais. O que não se discute é essa colonização do útero da mulher, e essa compulsoriedade em que a mulher é jogada de que sua experiência como mulher só será completa, se ela tiver um filho.

Bem, eu penso no caso de mulheres que por alguma razão não podem gerar filhos. Elas são menos mulheres por isso? E no caso de mulheres que abortam espontaneamente? Existe sim uma cultura que influencia a mulher na escolha de ser mãe. E uma culpabilização muito grande daquelas que por alguma razão, escolhem não sê-lo. E pior ainda, somos expostas e nos é imposto um terror à solidão enorme, é como se não engravidar te tornasse uma pessoa ruim e miserável. 

Epa, peraí, não funciona bem assim, certo?

Eu não quero ter filhos. Não quero porque é meu corpo, é minha vida e é minha escolha. É um direito que eu tenho, decidir ou não por ter alguém pra cuidar a minha vida toda. Alguém por quem eu terei sim, que abdicar da minha vida e do meu tempo.
Eu não quero ter filhos porque isso AINDA é uma escolha minha. Infelizmente não posso ter uma escolha legal caso eu venha a engravidar, nesse país. 
Se você teve essa experiência da maternindade, ok. Não estou desmerecendo sua experiência individual de ser mãe, mas EU NÃO QUERO.
E eu não preciso ler o tempo todo que ‘crianças são um milagre’, que ter filhos é legal, que você terá uma companhia pra sempre etc. 
Mais uma vez: EU NÃO QUERO TER FILHOS.
Milhares de mulheres também não querem ter filhos. Milhares de mulheres querem fazer laqueadura mas seus médicos as impedem porque normalmente são mulheres jovens que ainda não tiveram seus filhos.
Meu útero. Minha escolha.
Não querer ter filhos não é uma coisa ruim, e não deveria ser tratado como tal. Eu quero viver plenamente tendo a liberdade de fazer o que quero, viajar pra onde quero, e um filho não me permitiria isso.
Muitas mulheres se sentem coagidas SIM pela sociedade a terem filhos. É meio que compulsório essa idéia de que toda mulher tem que parir um rebento e ser mãe.
EU NÃO QUERO TER FILHOS.
E muitas outras também não.
RESPEITEM. Sua experiência como mãe/pai não vai mudar minha idéia. Nem vai me fazer sentir culpa por eu não querer. E aliás, querer gerar culpa numa mulher porque ela não quer parir é sim, colonizar seu útero.

Quero deixar claro que esse texto não desmerece a experiência de nenhuma mulher como mãe, muito menos a sua escolha em sê-lo. Mas reafirma que existe o desejo de não ser mãe e traz a problematização sobre essa idéia do papel da mulher dentro da sociedade patriarcal em que vivemos, junto com um desabafo de uma mulher que sofre pressão de todos os lados parar gerar filhos.

ImagemAmélia Autumn

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s