O problema não são as mulheres, querido nerd. É você.

Acho que todo mundo que tem redes sociais, hoje em dia, já viu aquele amigo nerd/geek típico reclamando que ele trata as mulheres bem mas o que elas curtem mesmo são os cafajestes, ou que ele bajulou tanto uma garota específica mas ela o deixou na friendzone, ou qualquer coisa do gênero. Aposto que tem muitas meninas que, como eu, já viram seus ex postando imagens tipo  essa e, por um momento, por um milésimo de segundo, se sentiram como pessoas cruéis que deram o fora naquele suposto cara perfeito.

Mas foi só um milésimo de segundo mesmo, porque nós não somos obrigadas a continuar com alguém só porque essa pessoa nos trata bem. Nós não somos obrigadas a ficar com alguém só porque essa pessoa é legal com a gente (legal entre aspas, porque está cheio das segundas intenções). E não, não merecemos ser rotuladas como “vadias” só porque supostamente te deixamos nessa idiotice que você chama de friendzone.

Estou aqui para dizer que estamos cansadas dessa baboseira toda.

Você, nerd, não é melhor que ninguém por viver nesse mundinho de cultura pop.

Eu não vou definir aqui o que é um nerd (ou geek, seja lá como você prefere chamar). Honestamente, pra mim isso independe de quantos jogos que você já zerou, do número de HQs que você acompanha mensalmente ou da quantidade de Pokémons que você sabe o nome. Mas eu acho que todo mundo consegue imaginar um nerd desses de hoje em dia.

Pois bem, eu me considero uma nerd. Gosto muito de cultura pop, prefiro ação à comédia romântica e leio quadrinhos com frequência. Mas, apesar de me considerar nerd, eu odeio  a comunidade nerd.

Por quê? Porque os nerds-padrão são extremamente sexistas, machistas, elitistas e preconceituosos. E eu abomino isso.

Ripley mandando a real: estou feliz em desapontá-lo.
Ripley mandando a real: estou feliz em desapontá-lo.

Os nerds, em geral, se consideram “intelectualmente superiores” a qualquer outro mortal da face da Terra. Como o J. M. Trevisan disse nesse texto  aqui , o nerd-padrão vê o seu mundinho “como um reino que ele conquistou a duras penas e ao custo de muitos pescotapas e que é dele”. Esse mundo particular criado pelo nerd-padrão pode ser resultado de um processo de “isolamento”, no qual o nerd se vê como “vítima” da friendzone e das “vadias” que não ficam com ele, mas sim com os “cafajestes”, que são os garotos que conseguem sair e ficar e beijar as garotas do mundo.

Esse mundo cheio de relações deturpadas afeta a cabeça desse ser que, teoricamente, é “intelectualmente superior”; e, dessa forma, eles  não admitem que as garotas que os rejeitam tenham “acesso” ao conteúdo de seu reino particular , afinal, foi ele que se estrepou todo para chegar até ali, certo?

Com isso, todas essas “vadias” que adentram no mundo dos jogos eletrônicos, RPG, quadrinhos, livros e filmes de cultura pop são altamente hostilizadas pelos atuais habitantes desse lugar. Esses garotos que, provavelmente, já foram alvo de bullying na escola trocam o papel de vítima para o de agressor,  ameaçando de estupro mulheres que se interessam por RPG  e  usando ofensas misóginas com aquelas que gostam de jogos online , por exemplo.

Mas é claro que o problema não acaba aí. As garotas são “vadias” porque entram em um mundo que, teoricamente, não as pertence. Mas não é só por isso…

Friendzone MATA!

cala a boca

Uma das melhores definições de friendzone que eu achei foi essa:

O conceito é simples, o cara (geralmente o cara) gosta muito de uma menina, mas ela não consegue ver o quanto ele é boa praça e o coloca na TERRÍVEL zona da amizade, onde ele é obrigado a não ficar com ela enquanto assiste um monte de caras não tão legais quanto ele tendo a chance. Esse é um problema que aflige praticamente todos os “caras legais” do mundo, porque mulher só dá valor pra babaca pegador.

Eu acreditava muito mais em friendzone no passado, mas tudo isso mudou quando eu fui colocada no papel que eu nunca tinha ficado: o de  friendzoneador  (se é que esse termo existe). Depois de uma série de circunstâncias, lá estava eu sendo bombardeada indiretamente por imagens tipo  aquela  que eu coloquei no começo do post, de um cara que queria muito continuar comigo, mas que simplesmente não rolava mais. E eu percebi que essa “pressão” indireta de ter que ficar com alguém só porque essa pessoa te trata bem é horrorosa.

Ela disse que só queria que fossemos amigos… que vadia.
Ela disse que só queria que fossemos amigos… que vadia.

Primeiramente:  quem foi que disse que você é um cara legal?  Sua mãe? Você mesmo? Seus amiguinhos que são iguais a você? Segundamente:  ninguém é obrigado a ficar com alguém só porque essa pessoa é fofa , ou te trata como uma princesa/príncipe. Se você não sente atração pela pessoa, não há nada que você possa fazer, por mais que o outro envolvido na história mande indiretinhas sobre o fato de você “pisar” nele. Nerdzinhos, vocês tem que aceitar que as mulheres  tem vontades , e ela não é nenhum demônio ou nenhuma criatura imbecil caso a vontade dela  não seja você.  E   caro  friendzoneado , não há nada que  você  possa fazer em relação à essas vontades! Se outra pessoa não te quer, siga o conselho da tia Elsa e  let it go ! Ou siga o conselho do tio Jimmy, do Matanza:

Se a mulher que voce quer, não te quer mais
E você só foi perceber isso tarde demais
Tudo bem, pois não faz a menor diferença no fim

Além disso, se você se aproximou de uma garota e foi legal com ela com o único propósito de tentar alguma coisa além disso,  você é um babaca .

E se vocês acham que eu estou exagerando sobre dizer que friendzone mata, você já ouviu falar sobre um cara chamado Elliot Rodger? Ele parecia um cara legal. Escreveu um  manifesto  até. Olha uma parte dele:

Vocês meninas nunca se sentiram atraídas por mim. Eu não sei por que vocês meninas não se sentem atraídas por mim, mas vou punir todas vocês por isso.

Elliot Rodger era só mais um cara que acreditava na friendzone e que, por causa dela, cometeu o  Massacre de Isla Vista , que deixou 7 mortos (incluindo o atirador) e 13 feridos. Por causa dessa rejeição que era, teoricamente, culpa das mulheres, ele se achou no direito de matar e ferir pessoas.

Por favor,  parem com essa ladainha de friendzone . Se as garotas não te querem, talvez o problema não seja elas, e sim você. Talvez todo esse seu preconceito nerd-padrão-ninguém-entra-no-meu-mundinho seja o culpado. Podem existir um milhão de motivos, mas as mulheres serem “vadias” porque “só ficam com cafajestes” não é um deles.


PS: assumo que esse texto não saiu tão bom assim. Ele é mais um desabafo do que qualquer coisa, então saiu com mais emoção do que eu previa. Peço desculpas por isso.

Usei os seguintes textos pra me ajudar nesse artigo:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s